artigos técnicos/científicos

Propriedades químicas e organolépticas de pão enriquecido com Rosmarinus officinalis L.: O potencial dos extratos naturais obtidos através de metodologias de extração verdes como ingredientes alimentares

Propriedades químicas e organolépticas de pão enriquecido com Rosmarinus officinalis L.: O potencial dos extratos naturais obtidos através de metodologias de extração verdes como ingredientes alimentares

No âmbito do projeto mobilizador ValorNatural, a DEIFIL estudou o potencial de diferentes matrizes naturais como fontes de aromas. Desta vez, foram os extratos de alecrim que ganharam palco na revista Food Chemistry (https://www.journals.elsevier.com/food-chemistry).

Com o intuito de serem aplicados na indústria alimentar, extratos de alecrim foram avaliados do ponto de vista químico (composição em voláteis), sensorial (descritores aromáticos e intensidade de notas aromáticas) e potencial citotóxico. Neste estudo, estabeleceu-se uma gama concentrações a aplicar na confeção de pão.

As amostras de crosta e miolo de pão foram analisadas do ponto de vista analítico por cromatografia de gases. Por outro lado, as características sensoriais dos pães, confecionados com extratos, mereceram atenção por um painel de avaliadores no que concerne ao odor resultante. Assim, quantidades ínfimas de D-limoneno e eucaliptol (provenientes dos extratos), tornam os produtos mais agradáveis ao olfato, sem deturpar o seu odor original a pão.

O trabalho encontra-se disponível em:

https://doi.org/10.1016/j.foodchem.2022.132514

Posted by addup in artigos técnicos/científicos
Publicação científica – Potencial de extratos de tomilho bela luz como ingredientes alimentares

Publicação científica – Potencial de extratos de tomilho bela luz como ingredientes alimentares

O início de 2022 traz mais um marco para a DEIFIL, a publicação de um artigo científico na revista Molecules.

O trabalho centra-se no potencial de extratos de tomilho bela luz (Thymus mastichina L.), obtidos por tecnologias verdes, para fins alimentares como ingredientes aromáticos de valor acrescentado.

Os produtos obtidos através de plantas selecionadas e produzidas pela DEIFIL foram caracterizados relativamente às suas propriedades químicas, toxicológicas e sensoriais. Neste sentido, destaca-se a abundância de moléculas aromáticas como o timol, α-terpineno e p-cimeno, responsáveis pelo atributo às notas verde, fresco e floral. Por fim, através de ensaios in vitro com células de rim de macaco (Vero), não foi verificado potencial citotóxico para o limiar de percepção dos odores dos extratos.

O trabalho publicado enquadra-se no âmbito do projeto mobilizador ValorNatural, onde a DEIFIL lidera um grupo de trabalhos focado em aromas e a sua modelação de com vista à aplicação na indústria de panificação.

Posted by addup in artigos técnicos/científicos
Dia Mundial do Pão

Dia Mundial do Pão

Hoje celebra-se o dia do alimento mais consumido no mundo, o Pão!

A Deifil é uma empresa da área da Biotecnologia Vegetal que se dedica à propagação in vitro de plantas, cujo sistema de reprodução não é eficiente ou suficiente para responder à demanda do mercado. Atualmente, a Deifil possui o melhor laboratório de cultura in vitro para fins industriais em Portugal, e toda a investigação científica é feita pelos seus colaboradores.

E o que tem a Deifil a ver com o Pão?

Nos últimos anos a Deifil tem apostado na inovação e no desenvolvimento em vários setores, nomeadamente no agroalimentar. Entre os vários projetos a decorrer, hoje destaca-se o ValorNatural.

Neste projeto mobilizador, a Deifil tem como principal objetivo o desenvolvimento de aromas naturais a partir de plantas aromáticas para incorporar em produtos de panificação. No decorrer deste projeto estão também a desenvolver-se estratégias de marketing olfativo, onde se pretende recriar o aroma a Pão. Assim, foram já identificadas várias moléculas características do aroma do Pão, como o furfural que remete às notas “doce” e “amadeirado”, e o nonanal que é descrito como “ceroso” e “fresco”.

Continuaremos a investigar para inovar nas diversas aplicações para as nossas plantas!

barran2020
Posted by addup in artigos técnicos/científicos, Notícias
Porta-enxerto de Cerejeiras e Ameixeiras – Disponível para reserva

Porta-enxerto de Cerejeiras e Ameixeiras – Disponível para reserva

ESPÉCIE: Prunus cerasifera Ehrh.

PROPAGAÇÃO: Micropropagada in vitro no Laboratório de Cultura de Tecidos Vegetais da Deifil.

COMPATIBILIDADE:   Porta-enxerto polivalente e compatível  com distintas variedades, especialmente utilizado em plantações de cerejeiras com rega e/ou fertirrega, em solos pesados ​​e calcários e com problemas de replantação.

ADAPTABILIDADE AO SOLO: Apresenta boa adaptação a solos pesados ​​e calcários, muito tolerante aos problemas de clorose férrica e asfixia de raízes e / ou doenças associadas.

COMPORTAMENTO: A árvore é semi-ereta e vigorosa. É imune aos nemátodos do género Meloidogyne.

PRODUTIVIDADE: Enxertada com variedades de cereja, induz alto vigor, entrada precoce em produção e boa produtividade,  assim como bom calibre, teor de açúcar e cor dos frutos.

 

Para reservas e mais informações entre em contacto através no nosso formulário disponível aqui.

Posted by Filipe Vieira in artigos técnicos/científicos, imprensa, Notícias
X Encontro Europeu da Castanha – Trancoso e Penedono, Portugal

X Encontro Europeu da Castanha – Trancoso e Penedono, Portugal

A Deifil teve o prazer de estar presente no X Encontro Europeu da Castanha, que se realizou em Portugal, em Trancoso e Penedono.

Este encontro representa a união dos produtores, empresas e comunidade científica envolvida com a castanha e castanheiro.

Tivemos a oportunidade de apresentar os nossos produtos, em grande destaque, os castanheiros produzidos por cultura in vitro, bem como, uma parte da investigação já realizada nesta cultura no nosso laboratório de biotecnologia vegetal, através de um poster cientifico. Durante o X Encontro Europeu da Castanha, lançamos dois novos formatos de venda para os porta-enxertos híbridos que comercializamos, que se demonstraram um sucesso para as empresas com atividade viveirista e produtores de castanha. Continuaremos a apostar na Investigação e Inovação para podermos também dar o nosso contributo para o crescimento e desenvolvimento da fileira.

São muitos e conhecidos os desafios que a castanha enfrenta, mas estamos conscientes de que a garantia de plantas de qualidade genética e fitossanitária no momento da plantação terá um grande impacto no sucesso da cultura que se refletirá ao longo de toda a cadeia comercial.

Utilizar a biotecnologia ao serviço da agricultura continuará a ser a nossa importante missão, e continuaremos empenhados a investigar e inovar a cultura do castanheiro!

Posted by Filipe Vieira in artigos técnicos/científicos, congressos, feiras, Notícias